Tivi São Lourenço, 23 de fevereiro de 2020
Política

Secretário Municipal de Desenvolvimento Econômico é convidado para falar sobre obras no Aeroporto de Pato Branco

Osmar Braun Sobrinho foi convidado pelo vereador Fabrício Preis de Mello (PSD) e apresentou os futuros projetos para o local

Por Laiane Carniel/Câmara Pato Branco

Atualizado em 13/02/2020 | 10:45:00

O secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Osmar Braun Sobrinho, participou da sessão desta quarta-feira (12), a convite do vereador Fabrício Preis de Mello (PSD), para falar sobre os andamentos dos trabalhos no Aeroporto Municipal Juvenal Loureiro Cardoso – Aeroporto de Pato Branco, bem como, os projetos de ampliação. De acordo com o secretário, o primeiro objetivo foi viabilizar uma linha aérea, agora se inicia a segunda fase, que será a ampliação de pista, para que novas aeronaves e, consequentemente, novas empresas passem a operar em Pato Branco.

“A demanda atual está bem acima do que esperávamos, as poltronas, tanto de ida quanto de volta, estão sempre todas vendidas e percebemos que os usuários são de toda a região. Logo, a ampliação é fundamental”, explicou Braun. Ele conta que uma das metas alcançadas era mudar o horário que o voo ia para Curitiba para o período da manhã, possibilitando mais opções de conexões com voos para outros destinos. “Conseguímos que ele passasse para as 10h30, mas nosso objetivo final é que ele saia de Pato Branco às 6h e retorne às 23h45min, assim, além das possibilidades de conexões com outros destinos, será possível que os usuários cumpram suas agendas na capital durante o dia e retornem para dormir em casa”, afirmou Braun.

Obras

Para que novas aeronaves possam vir para o Aeroporto de Pato Branco, a pista precisa passar por uma ampliação de 150 metros em cada cabeceira, para isso, será necessário um aterramento, para que o solo seja nivelado com a pista. “Não há necessidade de aumentarmos a pavimentação asfáltica, podemos fazer esse nivelamento com grama, mas precisamos aterrar todo o espaço”, contou Braun.

Além disso, o terminal será reconstruído em outro espaço, a cerca, que tem uma extensão total de quatro quilômetros, precisa ser realocada e alguns terrenos precisarão ser desapropriados, sendo que as residências que estão no local irão permanecer e, as novas, até uma certa metragem do Aeroporto, precisarão ser construídas com isolamento acústico. O valor total da obra está orçado em R$ 50 milhões.

“Como sabíamos que o processo seria dessa maneira, construímos o terminal com material pré-moldado, para facilitar a mudança. Também alocamos a EPTA – Estação Prestadora de Serviços de Telecomunicações e de Tráfego Aéreo – em contêiners e pretendemos construir a nova cerca no entorno da anterior e só depois retirá-la, tudo isso para que o Aeroporto de Pato Branco permaneça operante durante as obras”, ressaltou Braun.

Projeção futura

A empresa Gol já sinalizou que tem interesse em operar em Pato Branco, após a realização dessa ampliação, que, ao ser concluída, de acordo com o secretário, fará com que o Aeroporto opere por mais 25 anos sem novas alterações. “O terminal comportará até quatro empresas operando, aviões maiores poderão aterrissar e o Aeroporto terá uma estrutura referência para a região, continuando a ser um vetor importante de desenvolvimento, atraindo novos investimentos e oportunizando conexões com destinos mundiais”, concluiu Braun.

Outros assuntos

Ainda durante a sessão, o vereador Fabricio Preis de Mello (PSD) também falou sobre mobilidade urbana, com ênfase nas calçadas que, em Pato Branco, precisam passar por uma padronização e manutenção, bem como, um entendimento, já que, de acordo com o Código de Postura, na Lei 321, de 1978, a responsabilidade da manutenção das calçadas é do Município e, de acordo com a Lei 3.037, de 2008, de Padronização das Calçadas, a competência é do cidadão. “Logo, precisamos realizar uma revisão do Código de Postura, pois há muitas divergências com as novas legislações aprovadas”, enfatizou o vereador.

NOTÍCIAS RELACIONADAS