Tivi São Lourenço, 10 de dezembro de 2019
Segurança

Padrasto diz para PM que não vai se render, e mantém 2 adolescentes trancados em casa há mais de 21h no PR

Residência de Cafelândia está isolada, e a polícia está no local tentando negociar com o homem desde a tarde de segunda-feira (2). Homem está armado com uma faca, segundo a PM.

Por G1/PR

Atualizado em 03/12/2019 | 11:34:00

Um padrasto mantém dois adolescentes trancados dentro de uma casa em Cafelândia, no oeste do Paraná, desde a tarde de segunda-feira (2). A situação já passa de 21 horas.

Segundo a PM, o padastro não explica o motivo do cárcere privado. Nas tentativas de negociação da polícia, ele disse que não quer nada em troca e que não vai se render.

De acordo com as irmãs do homem, ele tem 39 anos e é padrasto do menino, de 12, e da garota, de 13. Ele tem uma filha de dez anos com a mãe dos adolescentes e convive na casa com eles há cerca de dez anos.

A criança e a mulher não estão na residência. O pai da adolescente mora em Goioerê, no centro-oeste do estado, e está no local acompanhando as negociações.

Negociações

O suspeito está desde o começo da tarde de segunda-feira com uma faca, conforme a Polícia Militar (PM). Ele amarrou os adolescentes, e as negociações começaram por volta das 15h.

Policiais de Cafelândia, Cascavel e Toledo estão no local. Além disso, o Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) de Curitiba chegou à cidade na noite segunda-feira. Ambulâncias do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) também foram para o local.

Problemas com drogas

A irmã do suspeito contou que ele teve problemas com o uso de álcool e drogas, mas que passou por um tratamento em 2018. De acordo com ela, o homem tem um bom relacionamento com os enteados.

A assistência social de Cafelândia informou que ele ficou 45 dias internado em Londrina, na região norte do Paraná, e depois foi para uma chácara de recuperação em Campo Mourão, também no centro-oeste.

Ao todo, o tratamento durou nove meses, e ele saiu em janeiro deste ano. Desde então, são feitos acompanhamentos mensais. Foi informado que o homem estava bem e que não havia alterações no quadro dele.

Na manhã desta terça-feira (3), a polícia continuava negociando com o homem. Ele trabalha em uma empresa de construção civil, em Cafelândia.

NOTÍCIAS RELACIONADAS