Tivi São Lourenço, 23 de fevereiro de 2020
Social

Em assembleia, Fundação Hospitalar São Lourenço apresenta números de 2019 e projeta 2020

Para o presidente da Fundação Hospitalar São Lourenço, Valentim Casagrande de Macedo, o ano de 2019 foi bom, pois a entidade conseguiu cumprir com o seu papel

Por Fundação Hospitalar

Atualizado em 07/02/2020 | 09:02:00

Na última sexta-feira (31), no auditório Celso Deon Lazzarotto, na sede administrativa do Sicoob Original, a Fundação Hospitalar São Lourenço realizou a Assembleia Geral Ordinária (AGO) de prestação de contas. Entre os assuntos pautados, destaque para prestação de contas da diretoria, balanço geral e parecer do conselho fiscal do exercício de 2019, eleição do presidente do conselho deliberativo da entidade para um ano, retrospectiva do ano 2019 e planejamento para 2020. Na oportunidade os mantenedores também participaram da Assembleia Geral Extraordinária (AGE) para ajustes no estatuto. 

Reconduzido ao cargo de presidente do Conselho Deliberativo – que representa os mantenedores –, Normides Scalsavara, disse que a assembleia foi realizada dentro da normalidade e com a ampla discussão dos assuntos da pauta. “A discussão é importante, pois a resposta esclarece todos que estão presentes e não apenas quem fez a pergunta”, observa. Sobre 2019, ele defende que a entidade cumpriu com o seu papel. “Prova disso é que o hospital atendeu bem mais pessoas que em 2018”, compara. 

Para o presidente da Fundação Hospitalar São Lourenço, Valentim Casagrande de Macedo, o ano de 2019 foi bom, pois a entidade conseguiu cumprir com o seu papel – que é atender a comunidade – e ainda fazer investimentos importantes. Entre eles, cita a ampliação e reestruturação de um espaço para atender os pacientes nos mutirões de cirurgias. 

Questionado sobre 2020, Macedo explica que há algumas prioridades. Uma delas é a realocação do setor administrativo. “Precisamos instalar esse departamento numa outra área para que possamos liberar e adequar aquelas salas para consultórios e demais demandas”, revela frisando que a cobertura do prédio é outra preocupação da diretoria e deverá estar em pauta neste ano. 

Em resumo, o presidente disse que a direção mantém o foco para garantir a manutenção das atividades e ampliar os serviços prestados. “Vamos continuar dialogando e buscando recursos junto às esferas de governo para que esses investimentos sejam viabilizados”, disse. Sobre a ajuda da comunidade, Macedo afirma: “A comunidade tem ajudado em diversas situações de dificuldade financeira. Esperamos contar novamente com esse apoio em 2020”.

Envolvimento 

Defendendo que a diretoria e equipe profissional tem trabalho para prestar o melhor atendimento, Macedo lembra que com o início do ano é preciso fazer tudo novamente e o engajamento da sociedade e das entidades é fundamental para isso. “Eu sempre digo que o hospital é da sociedade e, por isso, todos precisam cuidar dele. A diretoria precisa estar na frente, mas precisamos de todos trabalhando pelo mesmo objetivo”, finaliza. 

Números 

Na oportunidade, os mantenedores também conheceram os números de produção da Fundação Hospitalar. Entre eles, destaque para internamentos que totalizaram 3.665, sendo 2.363 pelo SUS (64,47%), 284 particulares (7,75%), 952 pela Unimed (25,96%) e 66 por outros convênios (1,82%); número de refeições servidas (37.125); quilos de roupas lavadas (25.275); cirurgias grandes (107); cirurgias médias (101); cirurgias pequenas (21), cirurgias eletivas – cataratas, ortopédica e geral (3.988); curetagem (63); partos por cesariana (176); partos normais (99); exame raio-x (5.675); mamografias (1.008); exames de laboratórios (10.119); e transfusão de sangue (67). 

 

NOTÍCIAS RELACIONADAS