• Leia mais notícias de POLÍTICA
Deputado catarinense vai pedir a Bolsonaro a suspensão da implantação da placa padrão Mercosul nos carros
Adicionada: 02/05/2019
 



O último prazo estimulado pelo governo para adotar

o novo padrão é dia 30 de junho



Insatisfeito com as alterações impostas pela nova resolução adotada para que todos os veículos brasileiros tenham placas no padrão Mercosul, o deputado catarinense Rogério Peninha Mendonça (MDB) deve se reunir com o presidente Jair Bolsonaro para pedir a suspensão dessa troca. O parlamentar acredita que a mudança trouxe mais transtornos do que benefícios.

 

“Eu tenho recebido muitas reclamações. Temos casos extremos em que a placa é tão grande que simplesmente não cabe no espaço do veículo, e aí o que se faz, corta o carro? Ainda não vi justificativa plausível para todo esse transtorno”, argumenta Peninha.

 

O último prazo estimulado pelo governo para adotar o novo padrão é dia 30 de junho. Desde janeiro, alguns despachantes do Estado já oferecem o serviço, que será exigido para os casos de primeiro emplacamento e para quem tiver a placa antiga, no caso da troca de município ou propriedade.

 

“Ao invés de melhorar a segurança, com um banco de dados único entre os cinco países do Mercosul, como era a proposta inicial, a alteração está gerando problemas. Em muitas cidades, o projeto da Polícia Militar de Santa Catarina, que é a ‘Rede de Vizinhos’, foi adotado em diversas cidades como uma ferramenta estratégica na segurança. E tem funcionado muito bem. O problema é que agora não consta mais das placas o estado e a cidade daquele automóvel, o que dificulta esse monitoramento”, explica o parlamentar.

 

Peninha disse que tomou a iniciativa motivada pelos questionamentos que têm recebido da comunidade. O deputado recebeu, inclusive, uma Moção de Apoio da Câmara de Vereadores de Schroeder, subscrita pelo vereador Giovane Fodi.



Fonte: WH3 - Foto: Reprodução | Internet
 

Versão para impressãoVersão para impressão
 


-----...*As opiniões expressas nos comentários não condizem, necessariamente, com a opinião do grupo editorial do "Portal TiviNet" e estes são de responsabilidade de seus idealizadores.