• Leia mais notícias de SAÚDE
Enfermeira obstetra responde seis dúvidas sobre parto
Adicionada: 25/03/2019
 



O período da gestação é cheio de expectativa sobre a chegada do bebê e, também, sobre como será o momento do parto. É normal a gestante ter muitas dúvidas durante o período, especialmente se for a primeira gravidez. A enfermeira obstetra Fabiane Milan, que trabalha na maternidade do Hospital Regional São Paulo, de Xanxerê, responde a algumas das dúvidas mais frequentes.



O pré-natal das gestantes normalmente é realizado em consultórios particulares ou nas Unidades de Saúde, com consultas agendadas mensalmente. Mas como saber quando é o momento de ir ao hospital?

 

Enfermeira Fabiane:  A grande dúvida, principalmente das mães de primeira viagem é quando devo ir para o hospital? Será que estou em trabalho de parto? A pressão da família, o medo de ter algo de errado, a ansiedade pela chegada do filho leva várias mulheres a procurarem o hospital muitas vezes antes do nascimento ocorrer. A literatura indica a internação quando estiver com duas contrações em 10 minutos, com duração mínima de 40 segundos cada e dilatação superior ou igual há quatro centímetros. Claro que isso quando a gestação não for prematura, gemelar ou que tem alguma alteração durante o pré-natal. É importante ressaltar que o pré-natal sem intercorrências, o bebê mexendo e ausência de perdas vaginais e/ou sangramento são sinais de segurança.  

 

 

É possível diferenciar contrações verdadeiras das falsas?

 

Enfermeira Fabiane:  O trabalho de parto verdadeiro é quando as contrações são efetivas, elas duram entre 40 e 60 segundos com um intervalo de 4 a 6 minutos; a força/ intensidade das contrações aumenta no decorrer do tempo, o desconforto inicia no dorso e se irradia para a parte da frente do abdômen. As contrações continuam, independente da mudança de posição. 

Quando as contrações estiverem irregulares, a intensidade da dor não aumenta com o passar do tempo, ou até mesmo pode haver perda do tampão mucoso, chamamos de falso trabalho de parto, “alarme falso”. São alguns sinais que indicam que o trabalho de parto está próximo, mas ainda não é o momento.

 

 

Explique mais sobre o tampão mucoso.

 

Enfermeira Fabiane:  O tampão mucoso é um muco que durante a gestação tem a função de proteger o útero da entrada de bactérias ou infecções. Ele tem aspecto gelatinoso (semelhante a clara do ovo), pode ser claro, branco, marrom e até conter filamentos de sangue vivo ou do tipo “bora de café”. A saída do tampão mucoso é um dos sinais de que o colo do útero esta começando a se preparar para o parto. Não é um sinal de desesperar e nem procurar o hospital. É só mais um sinal de que o corpo esta se preparando para o nascimento. Algumas gestantes poderão perder o tampão só durante o trabalho de parto, o que é normal também. 

 

 

É necessário fazer a tricotomia (o corte dos pelos pubianos) para ir ao hospital?

 

Enfermeira Fabiane:  Atualmente, segundo a literatura, a tricotomia não é mais recomendada. Isso porque ela não proporciona nenhum beneficio para a gestante e ainda pode aumentar o risco de infecção. 

 

 

Parto normal é sempre doloroso?

 

Enfermeira Fabiane: É doloroso devido às contrações uterinas, que são de extrema importância durante o trabalho de parto e o puerpério (fase após o nascimento). O útero esta em constante atividade durante toda a gestação, sendo que a partir das 28 semanas podem surgir as “contrações de treinamento”. Esta atividade uterina aumenta, até a chegada do trabalho de parto. As contrações são responsáveis pela dilatação cervical, modificação da consistência do colo uterino, descida e expulsão do feto.  Após o nascimento, essas contrações são responsáveis pela saída da placenta e o controle do sangramento pós-parto/ pós-cesariana. Elas são involuntárias, regulares e infelizmente dolorosas, porém não podemos relacioná-las somente com o sofrimento.

 

Atualmente, contamos com métodos de alivio da dor não farmacológicos, como a caminhada, o banho terapêutico e uso da bola suíça (bola de Pilates). No Hospital Regional São Paulo possuímos o espaço humanizado, que fica sempre à disposição da gestante e seu acompanhante, com auxilio e orientações da equipe da enfermagem e fisioterapia. Esses exercícios favorecem o trabalho de parto. 

 

 

Afinal, o que é parto humanizado?

 

Enfermeira Fabiane:  O parto humanizado é uma adequação do parto vaginal, que busca sempre a humanização, tanto para a gestante/puérpera quanto ao recém-nascido. Não significa um novo tipo de parto e sim a adoção de medidas de acolhimento e emprego de técnicas menos invasivas na hora do nascimento.

 

Técnicas como jejum, enema (lavagem intestinais), episiotomia (incisão efetuada na região do períneo para ampliar o canal de parto) e fórceps (uma ferramenta que auxilia o bebê a sair da barriga da mãe) são desaconselhados como rotinas e somente são utilizados em situações que necessitam.

 

O parto humanizado ainda permite que a gestante escolha um acompanhante que traga tranquilidade, segurança e que a estimule no momento do período expulsivo. A gestante, ainda durante o pré-natal, pode conversar com o médico para elaborar um plano de parto, que nada mais é que um instrumento de apoio, onde ela descreve a sua vontade quanto ao atendimento e a conduta durante o trabalho de parto.



Fonte: Hospital Regional São Paulo de Xanxerê - Foto: Assessoria
 

Versão para impressãoVersão para impressão
 


-----...*As opiniões expressas nos comentários não condizem, necessariamente, com a opinião do grupo editorial do "Portal TiviNet" e estes são de responsabilidade de seus idealizadores.